quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Quem és tu?

Quem és tu? Que fica a me olhar no espelho.
Que és tu pobre diabo que me acompanha pelos cominhos mais tortuosos da minha existência. Quem poderá ser.
Dividimos dores, alegrias e o mesmo corpo. Mas quem és tu?
Sua presença é constante, invariavelmente e incontestavelmente estais aqui. Algumas vezes esqueço que estais ai comigo.
Para nossa boa convivência, devo revelar-te que já não lembro quando dei a devia importância da sua existência. Nem mesmo recordo de quando ela iniciou-se. Estais ai para condenar-me e certamente tortura-me quando necessário és. Mas quem és tu para julgar-me se és a mim que esta o encargo de tomar as decisões desta vida mundana. Quem és tu que domina meu corpo e impulsiona-me, e arrasta-me a tomar as mais desenfreadas decisões.
Nossa convivência certamente perdurará enquanto este corpo durar, ou talvez, tu me acompanhe um tempo a mais. Enquanto meu corpo, digo , nosso corpo não se desfalecer entre lodo e vermes tu me acompanhará, mas quem és tu?

Um comentário:

  1. Grande Douglas, eu localizei seu blog através do twitter, e adorei o nome dele. bem impactante. gosto de coisas inpactantes. MAs até então, eu não havia lido nada. Entrei pela segunda vez hoje e li algumas coisas, mas esse ultimo texto foi o mais interessante, pela sinceridade visceral. Gosto disso. me lembrou uma crônica que escrevi tempos atrás na minha página. Existe uma certa semelhança de idéias. Parabens pelo blog, continue escrendo. E não tenha medo de porra nenhuma que essa nossa vida é uma merda mesmo.
    To seguindo seu blog e vou ler sempre, continue neste nível de nevenenamento. Abraço e sucesso.

    http://portalfelipelacerda.blogspot.com/2011/02/o-cacador-de-borboletas.html

    ResponderExcluir